domingo, janeiro 31, 2010

O Livro de Eli



O mundo é semi destruído por uma guerra nuclear. Os sobreviventes lutam para recomeçar entre os escombros, falta de comida e água. Esta ficção cientifica já foi contada diversas vezes, em inúmeros filmes. O mais famoso é Mad Max. E cá entre nós, a trilogia estrelada por Mel Gibson faz o restante parecer cópia.

O filme, O Livro de Eli não foge a fórmula batida. Mundo pós-apocalíptico, cenário cinzento e o cardápio da civilização está resumido entre carne de gato ou humana.

O diferencial do roteiro é no mínimo inusitado. O vilão, Gary Oldman, tenta arrancar do herói, Eli, Denzel Washington, nada menos do que a cópia da Bíblia Sagrada. Além disto, o personagem central recita trechos de Salmos.

Desde os Dez Mandamentos e Ben Hur, o filme tinha se afastado de histórias religiosas. Exceção fica por conta daUltima Tentação de Cristo e Paixão.

Se lançado na Quaresma ou na Semana Santa, o filme será automaticamente adotada por igrejas e seitas. Mas quem está atrás de diversão, sairá do cinema decepcionado. Melhor seria se tivesse ido a um culto ou missa.

2 comentários:

Arnoldo disse...

Acho interessante eles colocarem Denzel Washington para interpretar o papel de Eli... Já que ele próprio é um fiel seguidor de Cristo. Ele sempre busca em seus filmes passar alguma mensagem positiva e creio que este será o filme que ele poderá melhor passar esta mensagem!

Yêda Maria disse...

Eu assistir o filme e achei que o mesmo faz apologia ao cristianismo, reforçando a ideologia de supremacia de tal religião. Gostei da atuação de Denzel Washington que como sempre faz a diferença em qualquer trama, do mais, nada de novo.