segunda-feira, abril 21, 2008

As Dandaras no ar


Lucas Robertto e Gabriela Watson, no ar

As mulheres negras sempre surpreendem. Desde o início da escravidão, até dias destes. Por causa deste humilde blog, fui descoberto por uma bela e inteligente estudante de Rádio e TV da Casper Libero, Gabriela Watson, que comanda ao lado de outras mulheres um programa intitulado “Dandaras”, exibido na Rádio Universitária 890 Am, quinzenalmente aos domingos, das 12h às 13h, ao vivo.
O exceção das vozes femininas no ar, fica para fica para Lucas Robertto, boa dicção e conhecimento musical.
O programa tem conteúdo: com a pauta focada sobre as etnias negras. Mas como a Gabriela é uma afro-peruana, há um diferencial: dá para saber mais sobre a cultura africana na América Latina. Só por isto, a trupe feminina já mereceria um prêmio de comunicação social.
Fica ai a dica. Sei que muitos irmãos do continente africano estão atentos a este as novidades deste blog. Deveriam entrar no link e conferir:

Observação: Com minhas fontes, levantei a fica de todas integrantes da produção, principalmente a Gabriela. Consegui descobrir o segredo da qualidade. Todas são pessoas engajadas. Nesta situação vale a idéia do Hip Hop, “só quem é, se identifica”.



Na foto, as Dandaras junto com a cantora Paula Lima.

História - Dandara foi esposa e guerreira de Zumbi dos Palmares. Junto com ele, lutava para livrar os negros da dura vida que levavam. Suicidou em seis de fevereiro de 1694, para não voltar na condição de escrava. Ela representa até hoje liberdade e igualdade,o significado deste nome e a mais bela.
Escrava liberta em 1812, pertencia à nação nagô-jejê, da Tribo de Mahi, muçulmanos africanos conhecidos como no Brasil de Malês, responsáveis por todas as revoltas e levantes negros que abalaram a Bahia nas primeiras décadas do século XIX.

* Cliquem no título para chegar na página da rádio

3 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns Gabys e Dandaras. Olha o reconhecimento!

Abraços

adriano carão disse...

qi gabriela watson mais lindinha, hem! ^^ axé.

Anônimo disse...

só fazendo uma correção no inicio da frase quando tu dizes que: "As mulheres negras sempre surpreendem. Desde o início da escravidão,..." Amigo sempre surpreenderam desde antes da escravidão!