quarta-feira, abril 05, 2006

O QUE É SAMBA ROCK?


A gente pra viver bem nesse mundo
tem que ser um pouco mais inteligente,
como já dizia a minha velha avó:
"Macaco velho não põe a mão na cumbuca!"
Com o meu avô eu aprendi
que não se cutuca onça com a vara curta!
Mas quando a minha mãe vinha me dizer
pra tomar cuidado com esse mundo louco
Eu não quis ouvir
Eu não quis ouvir

Só fui ouvir é de um tio malandro que eu tenho
quando ele me dizia:
"Com'é que é meu?!"

Segura a nega
Segura a nega, viu?
Segura nega!
Segura a nega, viu? Clube do Balanço - Segura a Nega

É difícil responder esta pergunta. Dá para descrever o que é uma batida de um tamborim? Mas tentarei falar o que é o samba-rock, ritmo que redescobri através do primeiro CD de um grupo paulista denominado Clube do Balanço. O nome "samba-rock foi dito pela primeira vez por Jackson do Pandeiro, na música Chiclete com Banana, de Gordurinha.
Os primórdios do samba-rock começa nos anos 50, numa atitude contra o apartheid racial que informalmente existia no país. Impedidos de entrar nos bailes com orquestras chiques ou pelo valor do ingresso ou simplesmente pelo segurança, o nosso povo começou a colocar o som através dos que chamaremos hoje dos pais dos DJs. A musica era executada através de uma seleção de discos ou mesmo fitas cassetes.
Neste clima o pessoal foi copiado o estilo de dançar twist norte-americano, num estilo que misturava também o swing do samba. Algo único e novo.

Ritmo
O inventor do samba-rock como música é Jorge Ben Jor, que nega até hoje. Há que teorize sobre o arranjador Sergio Mendes, que misturou samba, bossa nova e jazz. Erasmo Carlos também foi identificado no teste de DNA do ritmo.
Mas o grande Jorge Ben no disco “O Bidu” é realmente o pai do samba-rock. Depois uma geração de músico adaptou o samba, que era tradicionalmente tocado em compasso binário (2/4), ao compasso quaternário (4/4) do rock. Além de usar instrumentos elétricos, como guitarras.
Ainda no fim dos anos 60 outros exemplos de como o samba poderia caber na moldura rítmica do rock-soul: a Pilatragem de Carlos Imperial e Wilson Simonal (que fez de País Tropical, de Jorge Ben Jor, um de seus cavalos de batalha) e a farra orquestral do maestro Erlon Chaves (que concorreu em 1970, no V Festival Internacional da Canção, da Rede Globo, cantando Eu Quero Mocotó, também de Jorge, acompanhado por sua Banda Veneno).
Nos anos 70, a voz potente de Tim Maia popularizaria o samba-soul, emplacando dois sucessos nesse estilo: Réu Confesso e Gostava Tanto de Você. Jorge Ben Jor teve uma queda para o funk a partir do disco A Banda do Zé Pretinho (1978), mas artistas por ele diretamente influenciados seguiram a sua orientação anterior, com muito sucesso em bailes do subúrbio carioca. É o caso de Bebeto (O Negócio é Você Menina, Flamengo) e de Serginho Meriti.
Em São Paulo, os bailes de periferia também ferviam ao som do samba-rock-suíngue, de nomes como o Trio Mocotó (que originalmente acompanhava Jorge Ben Jor), Copa 7, Luiz Vagner (que foi do grupo de jovem guarda Os Brasas, homenageado por Ben Jor com a música Luiz Vagner Guitarreiro), Branca Di Neve (falecido em 1989), Carlos Dafé, Dhema, Franco (também ex-Os Brasas), Abílio Manoel e Hélio Matheus.
De fins dos 60 para os 70 são gravadas as músicas que iriam se tornar os grandes clássicos dos bailes: "Pena verde" e "Luisa manequim", de Abilio Manuel, "Zamba-bem", de Marku Ribas, "Para sempre sem Bronquear", pelos Golden Boys, "Guitarreiro", de Luiz wagner. Os anos 70 trazem a fase áurea dos Originais do Samba, com sambas swingados como "Falador Passa Mal" e "Do Lado Direito da Rua Direita". Em fins dos anos 70, o disco Baiano e os Novos Caetanos, traz a célebre "Vô Batê pra Tú", de Arnaud rodrigues e Orlandivo. Nomes como Erlon Chaves, Bebeto, Di Mello, Orlandivo, Elizabeth Viana, Dóris Monteiro, nem sempre devidamente lembrados quando se fala se MPB, são os grandes nomes quando o assunto é samba-rock. Já no começo dos anos 80, o grande Branca de Neve grava dois discos antológicos, deixando várias pedradas como "Kid Brilhantina" e "Nego Dito" (uma reconstrução, ou desconstrução fantástica de Itamar Assumpção). Vale dizer que o célebre hit "Não Adianta", com o Trio Mocotó, foi gravado nos anos 70, mas só chegou aqui pelos 80, se tornando um sucesso.
O tremendão Erasmo Carlos contribuiu para o estilo, marcando presença com os clássicos "Mané João" e "Coqueiro Verde", imortalizada para sempre como samba-rock pelo Trio Mocotó. A nossa bossa nova, relida e misturada com o blues e com o jazz pelos gringos é outra fonte de hits dos bailes, a exemplo de "Soul Bossa Nova", com a orquestra de Quincy Jones.

7 comentários:

Anônimo disse...

então...

a música segura a nega, é do sambista Bebeto. O grupo Clube do Balanço apenas interpreta a canção.

joao augusto disse...

Ay controvérsias pois essa música é
de autoria do não menos gaúcho cha-
mado Luis Vagner,guitarreiro, que o
próprio Ben Jour coloca no pedestal
como sendo uns dos guitarristas ne-
gros mais versatéis do Brasil e que
não se recusa a acompanhar nenhum estilo de música,tremendo autodida-
ta conhecedor profundo da emissões
musicais universais.Para lembrar
algumas de suas composições:"Como",
gravada por Paulo Diniz, "Camisa Dez" por Luis Américo,"Zero pro Be-
deu" por Claudinha Telles, inclusi-
ve em falar em Bedeu outro músico
gaúcho residiu em São Paulo um bom
tempo,que tinha juntamente com Lele
co Teles,Alexandre(Nega Angela,gra-
vada por Neguinho da Beija-Flor),Cy
Nego Luiz e Lequinho formavam o gru
po "Pau Brasil", que habitou as noi
tes de São Paulo e Rio de Janeiro,
quando durante um bom periodo este
preconizou o danado do"Samba Swing"
agitando os shows e festas que tomo
ram parte, deixando um legado impor
tante para efetivação do"SambaRock"
Tem uma foto de contracapa do vinil
do Luis Vagner,de nome"Guitarreiro"
que ele está acompanhando na banda
de base,nada mais,nada menos que Pe
peu Gomes,quando menino.É Luis Va-
gner é Griô,muito respeito com esse
negô veio,porque ele é dos bons e
tem muito para ensinar muito gente
por aí,não podemos desconsidera-lo
como um dos criadores inventivos do
tido"sambarock",no uso das guitar-
ras, pois ele mesmo,já distorcia a
guitarra sem auxilio de pedaleira,
que a rapaziada se utiliza muito,ho
je em dia,era só o uso da alavan-
quinha presa ao corpo da guitarra.
Então senhores e senhoras,abram a-
las a essa celebridade da música po
pular brasileira e como tantos ou-
tros tende a cair no esquecimento e
na invisibilidade, por ser um artis
ta sem rotulações,e com uma bagagem
imensa de musicalidade.Quase esque-
ço Bedeu,também o compositor da "Ca
rolina",que o Bebeto canta,sabe:
"Quero encontrar a Carolina,aquela
menina linda que me fez sonhar,na-
quela tarde de domingo... Então,os
meninos contribuiram e muito para
esse tal "Samba-Rock".

antoniom carlos de paula disse...

É isso aí SEGURA A NÊGA! é de autoria do grande "Macaquinho" LUIS VAGNER, um dos maiores swingueiros do Brasil. Tenho muita honra de ter 03 músicas minhas, Black Samba(voltaire/antonio carlos de paula)
Bloco Maravilha (voltaire/antonio carlos de paula) e
Na cara do povo!(beto scala/antonio carlos de paula), todas gravadas no vinil GRANDES SUCESSOS DE FRANCO, este mesmo que hoje é empresário artístico de sucesso(merecido)e pai dos meninos do KLB, neste vinil tem também GUITARREIRO/ COMO?/ MORO NO FIM DA RUA/ FAZER MOLHO É NA COZINHA do grande Luis Vagner. Aliás, BLACK SAMBA, foi a minha primeira música gravada, pintou quando abri o jornal e ví a chamada BANDA BLACK RIO NA QUADRA DA MANGUEIRA! Isso em 1977, a escola era considerada o berço do samba, e ia apresentar musica negra norte americana, que era o lance da Black Rio, daí nós fizemos: NA QUADRA DA ESCOLA O SOM TÁ DIFERENTE/ESTÁ PINTANDO AÍ A NOVA TRANSAÇÃO/O MOVIMENTO É BLACK/É SOM IMPORTAÇÃO/EVERYBODY IÉIÉIÉ, ALÔ BROTHER, TAMOS AÍ! sucesso que vendeu 200.000 cópias, isso há 30 anos.Quem tinha na época de 15 a 30 anos, conhece, com certeza. Pena que o LUIS VAGNER até hoje não fez o sucesso que merece!

MARCOS disse...

Bem,primeiramente quero dizer que é muito legal ver ´matérias falando sobre o Suingue e Samba Rock,mas vamos inverter a ordem das coisas por favor!!Primeiro que a música Segura a Nega é do Luis Vagner.Segundo que o Jorge Ben não inventou o Samba Rock coisa nenhuma.E vamos valorizar muito mais Bedeu e o Grupo Pau Brasil por suas contribuiçoes ao gênero e a boa música brasileira!A ordem dos valores tá errada.Obrigado!

ESPAÇO disse...

OI A TODOS É MUITO LEGAL ESSA POLEMICA DE QUEM INVENTOU OU NÃO O SAMBA ROCK ...MAS ACHO MAIS IMPORTANTE DIVULGARMOS E FAZER CRESCER AINDA MAIS ESSE RITIMO QUE MUITO GOSTOSO DE DANÇAR ......


E PRA QUEM GOSTAR DE VER VIDEOS DE SAMBA ROCK ENTRE NO ORKUT DO espaçonostalgia@gmail.com ou procure no youtube pelo no do claudinho nostalgia que vcs vão ver como é gostoso dancar



abraço
EMIDIO PAIXÃO
ESPAÇO NOSTALGIA

Carlos José de Paula disse...

sou de canoas e amigo do macaco os brasas nasceu aqui quero trocar uma ideia com vc meu email e carlosjosedepaula@hotmail.com axe

Anônimo disse...

Merci d'avoir un blog interessant